terça-feira, 17 de maio de 2016

Dragão Fashion Brasil 2016 - Estivemos Lá!

O Dragão Fashion Brasil acontece todos os anos em Fortaleza, no Ceará, e neste ano tivemos o prazer em participar deste que é um dos mais expressivos eventos de moda do país! Nossa fundadora Marilene Veiga esteve presente nos 4 dias de evento, e fez um apanhado das mesas redondas e palestras por ela assistidas.

O evento, idealizado por Cláudio Silveira, acontece há 17 anos, e é destinado a apresentar novos talentos através de desfiles, e apresentar pontos de vista de criadores e empresários já consagrados no mercado através de palestras, cursos e mesas redondas. Confira abaixo nossa playlist com alguns dos desfiles apresentados ao longo dos 4 dias de evento!

Participamos de diversas atrações, e destacamos algumas abaixo:

Encontro Novos Criadores, Novas Oportunidades, em 4 de Maio - O encontro contou com 4 participantes, dentre eles Eveline Costa, do Senac/CE - um dos maiores apoiadores do evento - que conversou sobre o cenário atual para novos criadores, mostrando como o trabalho autoral está muito valorizado e em alta demanda.

Rodada de Artesanias e Demandas de Mercado, em 5 de Maio - Dentre os palestrantes, destacamos a participação da artesã Perpétua Martins, que trabalha com um estilo autoral de renda filé junto a uma comunidade rendeira da região. Ela utiliza fundos próprios para manter a produção em funcionamento, mostrando dedicação sem igual à arte e às artistas da renda filé.

Paralelamente, aconteceu o 1º Seminário Latinoamericano de Moda, Cultura e Desenvolvimento, servindo para colocar-nos a par do que acontece na América Latina, e contando com diversos participantes da Colômbia, que também marcaram presença em outras atrações.

Mesa Redonda Políticas Públicas para a Moda Autoral, em 5 de Maio - Carlos Paiva falou sobre os projetos de inclusão da moda como cultura, do trabalho em andamento, e dos incentivos. Fabiano dos Santos discorreu sobre o artesanato como fomentador da cultura, subsistência e incentivador ao turismo. Ana Maria Fries, colombiana, falou sobre como isso já acontece em seu país há muito tempo: diversas famílias passam conhecimento de geração em geração, e os designers da Colômbia enriquecem suas peças com detalhes artesanais, fator que agrega valor às peças e traz curiosidade sobre a história do lugar que originou a técnica, fomentando assim o turismo local.

Mesa Redonda Criação de Moda, em 6 de Maio - Ronaldo Fraga esteve presente conversando sobre seu processo criativo. Reclamou muito do "tribunal" do Facebook, onde todos sentem-se aptos a julgar o trabalho do criador. Outro estilista presente na mesa redonda foi Lindebergue Fernandes, que comentou que seu trabalho é comparado ao de Ronaldo Fraga pois ambos tiveram experiências de vida similares. Disse que cada um conta a história de sua vivência através de suas peças, e que acha importante cultivar suas raízes.

Mesa Redonda Novas Experiências de Varejo de Moda, em 7 de Maio - Participaram as empresas Cartel 011 (SP), Pandorga (RS) e Babado Coletivo (CE), voltadas à divulgação de novos estilistas e servir como ponto de venda para suas peças. Todos concordam sobre a importância de uma curadoria inteligente, prestigiando criadores preocupados em trazer ideias originais e com apelo global.

Palestra Aprendendo com a Gestão do Luxo, com Carlos Ferreirinha, em 7 de Maio - Elogiou a iniciativa do Dragão Fashion ao trazer cultura, arte e moda no mesmo espaço. Palestrou sobre a situação atual na China, que costumava ser apenas uma potência produtora, mas que agora conta com mais de 800 escolas de design, tornando-se também uma potência criativa. Assim, será cada vez mais necessário despertar emoção para conquistar clientes, trazer melhorias constantes ao atendimento, e evitar a todo custo a conformidade.

Eduardo Motta, da Consultoria Radar, participou ativamente como mediador, apresentando várias mesas redondas e palestras. Uma frase dita por ele nos chamou atenção: "As maiores empresas ficarão cada vez maiores, enquanto que as empresas de médio porte irão desaparecer, sendo substituídas pelos pequenos criadores." Para ele, o mercado está propício para quem faz trabalho artesanal e autoral, sendo um ótimo cenário para quem está iniciando seu negócio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário